05/04/2011

A você, com amor


Um dia desses, passeando pela obra de Vinícius de Moraes, encontrei este poema e por achá-lo leve e verdadeiro, resolvi partilhar. Este poeta e letrista é um exemplo de quem soube, com reconhecida sensibilidade, falar da vida através da multiplicidade da linguagem.   

O amor é o murmúrio da terra
quando as estrelas se apagam
e os ventos da aurora vagam
no nascimento do dia...
O ridente abandono,
a rútila alegria
dos lábios, da fonte
e da onda que arremete
do mar...

O amor é a memória
que o tempo não mata,
a canção bem-amada
feliz e absurda...

E a música inaudível...

O silêncio que treme
e parece ocupar
o coração que freme
quando a melodia
do canto de um pássaro
parece ficar...

O amor é Deus em plenitude
a infinita medida
das dádivas que vêm
com o sol e com a chuva
seja na montanha
seja na planura
a chuva que corre
e o tesouro armazenado
no fim do arco-íris.


Vinícius de Morais

2 comentários:

  1. Jaécia Bezerra de Brito11/04/2011 17:24

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir